GOTA

Gota é uma doença que se caracteriza pelo nível elevado de ácido úrico no sangue e que pode levar a deposição de cristais de monourato de sódio nas articulações. O monourato de sódio é resultado da quebra do ácido úrico através de reações enzimáticas nos rins. Este produto da quebra, o monourato de sódio, vai se acumulando nas articulações, nos tendões e leva então a reações inflamatórias, o que vai deixar a articulação quente, avermelhada e muito dolorosa.
A elevação do ácido úrico chama-se hiperuricemia (o nível ideal de ácido úrico no sangue é que seja abaixo de 7,0 mg/dl para os homens e para as mulheres 6,0 mg/dl);  muitas vezes estes níveis estão acima disto e o paciente não sente dor alguma. A gota, que se caracteriza pela deposição do monourato de sódio nas articulações e que gera dor e com o passar do tempo vai lesando a cartilagem articular, geralmente ocorre em torno de 20% dos indivíduos com hiperuricemia.
A maioria dos indivíduos acometidos é do sexo masculino, na idade prevalente de 30-40 anos.
A gota era chamada da doença dos reis porque estes normalmente abusavam da alimentação e da bebida e é o que se observa nesta faixa etária e no sexo masculino.
Nas mulheres é mais comum na idade da pré-menopausa e pós menopausa pela alteração hormonal  de estrógenos, que vai levar a uma produção maior do ácido úrico.



CAUSAS DA GOTA:

  • Déficit da eliminação do ácido úrico, pelos rins,  por ausência de um mecanismo adequado (CONGÊNITO) – alteração enzimática – é mais comum.
  • Produção anormal e excessiva do ácido úrico, também por alteração enzimática anormal.
  • Estas duas condições são genéticas e em torno de 20% das pessoas com gota têm histórico familiar da doença.

 

OUTRAS CAUSAS:

  • Uso de medicamentos em excesso como diuréticos e ácido acetilsalicílico (AAS) – pode levar ao déficit de excreção do ácido úrico pelos rins.
  • Peso: peso excessivo significa alimentação inadequada e também há mais tecido a ser metabolizado pelos rins e que vai levar à concentração maior do ácido úrico.
  • Álcool: especialmente as bebidas fermentadas, que são ricas em PURINAS, podem aumentar o ácido úrico e também o álcool interfere na função renal.
  • Alimentação: alimentos ricos em PURINAS podem causar  ou piorar o quadro de hiperuricemia e da gota.

OUTROS FATORES QUE PODEM INTERFERIR NA GOTA E QUE PODEM PIORAR O QUADRO COM O PASSAR DO TEMPO:

  • Hipertensão arterial (pressão alta) – pode piorar a função dos rins e pode também ser piorada com o tempo pelo depósito dos cristais de monourato de sódio nos rins, que levarão a lesão no interstício dos rins e levar a insuficiência renal.
  • Hipotireoidismo
  • Psoríase
  • Traumas (físicos e emocionais)
  • Anemia hemolítica, câncer, síndromes de Kelley-Seegmiller e Lesch-Nyhan – são doenças raras nas quais a enzima que auxilia no controle do ácido úrico está ausente ou em quantidades baixas.
  • Remédios – diuréticos como Furosemida; AAS (aspirina), Niacina, Ciclosperina, Levodopa

 

DIAGNÓSTICO:

É realizado pelo quadro clínico. Usualmente a gota se manifesta por hiperuricemia, com crise aguda de dor e inflamação em uma articulação. 80%¨das vezes acomete a articulação do dedão (crise de Podagra) mas pode acometer o tornozelo, o joelho, punho, dedos.
A primeira crise normalmente é curta, de 3 a 5 dias e se resolve espontaneamente na maioria das vezes e pode haver um grande intervalo entre esta primeira crise e outras subsequentes. Com o passar do tempo, pode ocorrer o prolongamento das crises e a diminuição dos intervalos, até que então se instala o quadro de lesões definitivas, com formação de TOFOS GOTOSOS, que são acúmulos excessivos do monourato de sódio nas articulações, tendões, com destruição articular e alteração da função articular. Quando este acúmulo é nos rins pode levar a perda séria da função renal e o paciente ter crises de insuficiência renal que pode levar até à perda do rim.
O diagnóstico é feito também pelo exame de sangue e de urina e às vezes necessita punção da articulação para colher o líquido sinovial e determinar se há cristais de monourato de sódio no seu interior.

TRATAMENTO:

A chave do sucesso do tratamento da gota é o controle alimentar. Não existe CURA para gota e sim controle. O paciente com gota pode ter uma vida completamente normal, desde que não exceda a ingestão de alimentos ricos em purinas e deve então ter vida saudável e esquecer aquele churrascão crônico do fim de semana. Pode participar mas sempre com limitações.
Quando fora das crises, tomar uma dose pequena de cerveja e um pouquinho de carne, sem excessos, não vai levar à crise, mas aqueles hábitos de ingestão excessiva, vão piorar o quadro e levar à forma crônica da gota.

Nas crises, o uso de anti-inflamatórios não hormonais ou às vezes até hormonais (corticosteróides) melhora a forma de ataque agudo da articulação. Algumas vezes necessita-se uso de COLCHICINA, que abaixa drasticamente os níveis do ácido úrico, porém algumas pessoas têm muita diarréia com este medicamento e não consegue fazer uso. Pode-se associar este em doses menores com os anti-inflamatórios.
Outro medicamento bastante utilizado no tratamento da gota é o ALOPURINOL que atua em manter baixo o nível do ácido úrico (interfere na produção excessiva do ácido úrico).
Outro grupo de medicamentos são os uricosúricos, que aumentam a excreção do ácido úrico. Alguns exemplos: probenecida, sulfimpirazona.

Em relação ao uso dos medicamentos como diuréticos e AAS e outros, o ideal é conversar com o médico que indicou e tentar uma substituição por outros.

OUTRAS RECOMENDAÇÕES:
Vida saudável – fazer bastante exercícios aeróbicos para perda de peso
Ingerir bastante líquido, especialmente água
Evitar alimentos ricos em purinas como miúdos: alguns exemplos:

Sardinha.
Anchova.
Arenque.
Aspargo.
Bife de rins.
Feijões e ervilhas secas.
Carne de caça.
Fígado.
Cogumelos.
Espinafre
Tomate
(PEIXES ENLATADOS DE UMA FORMA GERAL)...

O ideal é sempre cuidar da dieta. Nas crises agudas, evite uso dos medicamentos e alimentos citados. Estando bem, sem hiperuricemia, ingerir carne vermelha ou mesmo tomar uma cervejinha em doses pequenas não irá levar à crise aguda, mas deve sempre ter o controle.
Uso crônico e indiscriminado da alimentação inadequada vai levar às lesões crônicas e irreversíveis nas articulações e nos rins e pode-se precisar de cirurgias para correção das lesões articulares e remoção dos tofos gotosos.  Os tratamentos para as lesões renais com certeza levarão a uma vida de limitações definitivamente.
Portanto, um dedo inchado pode ser a ponta de um iceberg e merece atenção.

IMPORTANTE: não deixe de visitar um médico acaso apresente um quadro que possa sugerir gota.



FIGURA DE PÉ COM TOFO GOTOSO EXUBERANTE NA ARTICULAÇÃO DO HALUX (DEDÃO)



TOFO GOTOSO NO COTOVELO



TOFO GOTOSO NA BORDA MEDIAL DO PÉ
 


Existem vários medicamentos para o tratamento da gota, tanto para a crise aguda quando para a manutenção do ácido úrico em níveis baixos, mas o mais importante é a associação de bons hábitos alimentares. Portanto, preocupe-se com a sua saúde se você tem hábitos desregrados e os seus pés começam a doer e inchar após aquele churrascão do final de semana. Além dos cuidados gerais com a dieta, uma vez que os pés começam a ser comprometidos, o ideal é não usar calçados apertados. Bicos largos e de câmara anterior mais alta nos sapatos, prevenirão muitas dores e lesões pelo atrito na parte da frente do pé pelo sapato

É comum o acometimento da parte anterior do pé e ter dor debaixo da cabeça dos metatarsos, especialmente sob o I (logo atrás do dedão= hálux). Uma palmilha com amortecimento sob esta região dá muito conforto, especialmente se usada em sapatos com solados mais grossos e mais rígidos ou tênis de modelos de corridas e caminhadas.

.PRODUTOS PÉ LIGHT ADEQUADOS

Palmilha I100 - Palmilha com elevação retrocapital para metatarsalgias; confeccionada em poliuretano injetado, com elevação retrocapital (bolha logo atrás das protuberâncias ósseas dos metatarsos) para prevenção e tratamento de dores nos antepés (Neuroma de Morton, Metatarsalgia = dores logo atrás dos dedos, na sola dos pés) além de sistema de amortecimento nos calcanhares, para prevenção e tratamento de dores como fascite plantar (esporão de calcâneo), atrofia do coxim plantar... Tamanho 36 a 44 (P, M, G) – podem ser recortadas para adaptação em calçados mais finos. Ideais para calçados esportivos e calçados mais largos.

PALMILHAS I 100 – R$120,00 O PAR
 
PARA COMPRAR OS PRODUTOS, FAÇA SEU PEDIDO EM:  PEDIDOS ON LINE, que entraremos em contato.