TENDÃO DE AQUILES (TENDÃO CALCÂNEO) -  (DEFORMIDADE DE HAGLUND)

O tendão de Aquiles é um forte tendão da parte posterior da perna, que se insere no calcanhar (no osso calcâneo). É responsável pelo ato de levantar o peso do corpo na ponta dos pés, com a contração da musculatura da panturrilha. Ele se insere no osso calcâneo, posteriormente, no calcanhar.


Os pontos vermelhos são os pontos principais de dores no tendão de Aquiles (acima, normalmente entre 5-6 cm do ponto aonde o tendão se insere no osso do calcanhar (calcâneo) é um local freqüente de espessamento e dor no tendão e futura degeneração e ruptura. Tem associação maior com as pessoas que têm deformidade em varo do calcâneo e do joelho ( que pisam para fora e que têm os joelhos arqueados para fora) e também nas pessoas que têm o contrário, o pé muito pronado ou muito chato. É importante corrigir estas pisadas com palmilhas que mudam o apoio para dentro ou para fora, na dependência da deformidade. O ponto vermelho debaixo do pé é local de dor na fáscia plantar (fascite plantar) que tem relação também com sobrecarga, deformidade dos pés, excesso e erro de treinamentos.

Existem algumas bolsas, denominadas bursas, que servem de proteção entre o tendão de Aquiles e o calcâneo e entre o tendão de Aquiles e a pele, que se denominam bursas retrocalcânea e bursa retroaquileana. Estas bursas podem se inflamar e se tornar sede de dor e incapacidade funcional do pé e tornozelo e atrapalharem a função do tendão de Aquiles ou dificultar o uso de calçados fechados pela inflamação local. Estas bursas inflamadas chamam-se: BURSITES (igual ao ombro que é o local mais comum de BURSITE)

FIGURA: Imagem de ressonância magnética mostrando bursite retrocalcânea


Alguns pacientes têm um potencial maior de dor nesta região, especialmente os homens, que apresentam o osso do calcanhar (o calcâneo) mais saliente na região posterior do calcanhar, aumentando então o atrito entre o calçado e o tendão de Aquiles e as bursas. Esta apresentação do osso mais saliente posteriormente chama-se deformidade de Haglund. A pessoa acometida por tais dores apresentará aumento de volume na região posterior do calcanhar, com ou sem sinais inflamatórios locais (vermelhidão, dolorimento à palpação, aumento de temperatura local) e que levam à dificuldade do uso de calçados fechados. A bursa retroaquileana é mais saliente à visão direta e pode surgir no formato de uma bolsa atrás do calcanhar que gera calos locais dolorosos pelo uso dos calçados. A protuberância óssea também pode se apresentar bastante saliente para trás, no calcanhar e se tornar anti-estético, especialmente para as mulheres, pela formação associada de calos exuberantes na pele (razão pela qual a maioria das mulheres quer operar).

O tratamento ideal é evitar calçados com contrafortes posteriores duros e que comprimam a região. Para as mulheres, uso de calçados abertos atrás é uma solução boa. Para os homens já é mais complicado e devem evitar calçados de couro duro na região posterior do calcanhar. Existem palmilhas confeccionadas para esta região posterior. Elevar o calcanhar e alongar a musculatura da panturrilha também pode auxiliar na melhora. É importante afastar as doenças que podem acompanhar estas bursites, como artrites (especialmente nos homens, quando é bilateral e não melhora com tratamento bem feito), gota (também mais comum nos homens). Cirurgia, nas mãos de um bom ortopedista especialista em patologias dos pés resulta em boa correção, naqueles casos que não melhoram com o tratamento conservador.

Agora, quando a dor é no corpo do tendão é importante verificar se há alguma degeneração no tendão porque esta é a região que mais ocorre ruptura. O primeiro passo é corrigir a pisada. O pé cavo (com arco muito alto) e com varo do calcâneo (apoio na borda lateral) deve ser corrigido com palmilha e calçados com saltos, mais elevados atrás, além de um trabalho bom de alongamentos e fortalecimento deve ser associado.

 

FIGURA: VARO DO CALCÂNEO DIREITO

FIGURA: PÉ CAVO, COM ARCO MAIS ELEVADO, QUE NORMALMENTE ASSOCIA COM O VARO (APOIO NA BORDA LATERAL DO PÉ).

FIGURA: visão de frente de pés chatos, hiperpronados (mais acentuado à esquerda)

FIGURA :pés chatos, hiperpronados – visão posterior

Trabalhar o alongamento de toda a musculatura posterior (gastrocnêmio e sóleo), ou seja, das panturrilhas, é muito importante, junto à mudança do apoio, tanto no pé cavo-varo quando no pé chato (plano, hiperpronado)
. Uma avaliação de um médico e de fisioterapia pode ajudar muito na reabilitação da tendinite do tendão de Aquiles (hoje chamado corretamente de tendão calcâneo) e as palmilhas terão um papel fundamental na prevenção.
Abaixo estão alguns exemplos de alongamentos que podem ser realizados em casa.

1) alongamento excêntrico de panturrilhas: pise em um degrau e desça o peso do corpo até sentir uma boa tensão na musculatura da panturrilha: contraia a musculatura, como se fosse ficar na ponta dos pés, mas não levante o corpo; mantenha a musculatura contraída por 20 segundos e então relaxe e descanse por 20 segundos (faça 03-05 repetições)

2) alongamento de gastrocnêmio (panturrilha): fique de frente para uma parede e faça alongamentos da panturrilha, com o joelho esticado (em extensão). Não retire o calcanhar do chão e mantenha o pé reto, sem virar para fora ou para dentro. Mantenha o estiramento por 20 segundos e faça 03 a 05 repetições)

3) alongamento de sóleo (também da panturrilha): – fique de frente para uma parede e faça alongamento da panturrilha, semelhante ao anterior (do gastrocnêmio), porém com o joelho dobrado. Faça também 03 a 05 repetições de 20 segundos de estiramento).

O passo inicial do tratamento, além dos exercícios excêntricos de alongamento e fortalecimento, é associar elevação dos calcanhares e amortecimento ao mesmo tempo. Se há desvio da pisada (pisada pronada ou supinada), deve ser corrigido também com palmilhas.

PRODUTOS PÉ LIGHT ADEQUADOS
.


Palmilha I20 - Palmilha neutra para pisada normal; (amortecimento para fasciite plantar = esporão de calcâneo e atrofia do coxim plantar) – ideal para esportes (caminhadas, corridas) e calçados esportivos; – utilizada no tratamento e prevenção de fasciite plantar, osteocondrite de Sever (“esporão da criança”) no Futsal (as chuteiras de futsal são muito baixas e duras – estas palmilhas são excelentes para amortecimento e não dão a sensação de instabilidade comum das calcanheiras de silicone e possuem amortecimento semelhante ao silicone e superior ao EVA (material da maioria das palmilhas). Tamanhos: PP, P, M, G: 33 a 44

PALMILHAS I20 – R$ 120,00 O PAR

Palmilha C20 - Palmilha social neutra para pisada normal; (meia palmilha, em cunha para adaptação em calçados sociais masculinos e femininos – tamanhos semelhantes ao anterior – ideal para prevenção e tratamento de fascite plantar (esporão de calcâneo), osteocondrite de Sever (“esporão da criança”) (esportes como futsal são praticados com tênis baixos, sem um sistema de amortecimento igual aos dos tênis de corridas e estas palmilhas previnem as dores nos calcanhares). Estas palmilhas não dão a sensação de instabilidade comum das calcanheiras de silicone e possuem amortecimento superior ao EVA (material da maioria das palmilhas) – podem ser recortadas para adaptação em calçados mais finos no retropé)


PALMILHAS C20 – R$ 70,00 O PAR

PARA COMPRAR OS PRODUTOS, FAÇA SEU PEDIDO EM: CONTATO, que entraremos em contato.